quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Polícia Federal investiga suposta compra de vaga de paranínfo

A Polícia federal investiga possível compra de votos, através da oferta de ajuda financeira para a formatura de curso de Direito, mas com uma condição: O "mecenas" deveria ser convidado para paraninfar a turma. Não é preciso dizer que o suspeito é candidato a deputado federal. Veja, abaixo, na íntegra, a notícia veiculada no sítio Folha.com.

Sílvia Freire

São Paulo

Polícia Federal de Alagoas investiga um caso inusitado de suspeita de compra de votos. Um estudante de um curso de direito disse que um cabo eleitoral ofereceu à comissão de formatura R$ 3.000 para ajudar a pagar a festa.

Em troca, a turma convidaria um deputado federal que disputa a reeleição para ser o paraninfo --com direito a discurso, fotos, sorrisos e apertos de mão.

O curso é de uma faculdade particular de Maceió, que não teve o nome divulgado.

Ontem, o estudante e alguns colegas relataram o caso à Polícia Federal, que abriu um procedimento para investigar a proposta. O suposto cabo eleitoral já foi ouvido por um delegado da PF e negou a oferta.

Os estudantes disseram que o cabo eleitoral fez a oferta em nome do deputado federal Carlos Alberto Canuto (PSC-AL), que disputa a reeleição. Segundo a PF, ele possivelmente deverá ser ouvido.

O deputado, por meio de sua assessoria de imprensa, negou que estivesse por trás da proposta e disse que desconfia que adversário estejam usando seu nome indevidamente para prejudicar sua campanha.

Um comentário:

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezado engenheiro Vulmar Leite!
Seria de bom alvitre tornar de domínio público os "feitos" que este "candidato" a reeleição, na disputa acirrada para uma vaga de Deputado Federal, fez em prol aos desvalidos patrícios do Estado de Alagoas. Até quando teremos o dissabor de tomar conhecimento de denúncias nefastas deste teor?
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP