quarta-feira, 29 de julho de 2009

Recesso escolar na rede pública estadual

"O período de recesso das aulas da rede publica estadual será estendido até o dia 17 de agosto. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 29, durante entrevista coletiva concedida pelos secretários estaduais da Educação, Mariza Abreu, e da Saúde, Osmar Terra. O retorno dos 1,2 milhão de alunos das 2,6 mil escolas estaduais estava programado para ocorrer na próxima segunda-feira, 3, mas foi prorrogado por mais 14 dias. A medida segue orientação do Comitê Estadual de Enfrentamento a Influenza A H1N1 (Gripe A).

Osmar Terra explicou que o comitê recomendou a prorrogação do recesso escolar como forma de evitar aglomerações nas instituições de ensino e para diminuir a velocidade de propagação da Gripe A. O secretário da Saúde destacou a importância de tranqüilizar a comunidade escolar, tendo em vista que as projeções das autoridades sanitárias indicam que 99% da população gaúcha não será infectada pelo vírus. “Sabemos que postergação do recesso não vai influenciar na diminuição significativa do número de casos, mas vai retardar a velocidade de transmissão”, observou.

De acordo com Mariza Abreu, a Secretaria Estadual da Educação (SEC) decidiu seguir a recomendação do Comitê de Enfrentamento a Gripe A visando tranquilizar e subsidiar a comunidade escolar com informações de prevenção. A secretária da Educação afirmou que as 30 Coordenadorias Regionais de Educação (CRE) deverão repassar, até sexta-feira, 31, ofício às escolas contendo informações quanto a prorrogação do recesso. Na próxima semana, Mariza Abreu adiantou que será feita reunião com os coordenadores regionais de Educação para discutir a recuperação das aulas após esse período. “Pretendemos recuperar as aulas ainda dentro do calendário do ano civil de 2009. Certamente usaremos os sábados para isso”, avaliou.

O calendário letivo da rede estadual para 2009 terminaria dia 23 de dezembro e está disponível no site da SEC (www.educacao.rs.gov.br). O documento segue critérios estabelecidos na Lei de Diretrizes e Bases (LDB) da Educação Nacional, como o cumprimento de 200 dias e 800 horas/aula por ano."


Publicado no site da Secretaria da Educação do RS

domingo, 26 de julho de 2009

O desabafo do ex-governador Jackson Lago

'Sarney é a ponta de um iceberg chamado Maranhão'

"Primeira manifestação pública de Jackson Lago (PDT) depois de ter sido afastado pela Justiça do governo do Maranhão e substituído por Roseana Sarney (PMDB):

"O verdadeiro ato secreto é o Maranhão. Aqui, não são os parentes que são nomeados para os cargos, são os cargos que são criados para os parentes.

As instituições têm dono. Nomeiam-se tribunais, fóruns, assembléias, câmaras e até cidade com o sobrenome Sarney.

Aqui, o presidente Lula jamais inaugurou uma obra.

Aqui, o governador eleito pelo povo não indicou ou nomeou quem quer que seja para um único cargo federal.

Aqui, o golpe de 64 ainda não acabou. O estafeta dos generais, o fiador do golpe é o seu testamentário.

Aqui, parentes presidem o Tribunal Eleitoral. O Tribunal de Contas intimida prefeitos com o nome da governadora em sua fachada. Uma máquina de mentiras controla os meios de comunicação para atacar e difamar os adversários.

A Justiça vergonhosamente curvou-se para cassar a soberana vontade do povo maranhense.

Sem cargo público, sem mandato, fui acusado de abuso de poder econômico e de mídia. Décadas de luta, de sangue, de construção de uma alternativa democrática, foram surrupiadas por quatro votos.

A Constituição foi rasgada para dar posse ao perdedor.

Que o Brasil não se iluda. Sarney é apenas a ponta de um iceberg chamado Maranhão."


Publicado no Blog do Noblat

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Sempre atual

Infelizmente, as palavras de Martin Luther King continuam atuais:


"Se soubesse que o mundo se desintegraria amanhã, ainda assim plantaria a minha macieira. O que me assusta não é a violência de poucos, mas a omissão de muitos. Temos aprendido a voar como os pássaros, a nadar como os peixes, mas não aprendemos a sensível arte de viver como irmãos". (grifo meu)

terça-feira, 21 de julho de 2009

Dica


Uma boa dica de livro e que adquiri recentemente, é Antes de Nascer o Mundo, do moçambicano Mia Couto, considerado por muitos um dos melhores nomes da literatura africana atualmente, sugestão de uma das minhas filhas. A história tem o seguinte "mote":Depois que o mundo acabou, um lugarejo chamado Jerusalém tornou-se o lar do que restou da humanidade, ou seja, de Silvestre Vitalício, os dois filhos, um tio dos meninos, um serviçal e, ainda, uma jumenta chamada Jezibela, considerada "tão humana que afogava os devaneios sexuais do velho Vitalício". No entanto, certa ocasião Mwanito, o filho mais novo, vê uma mulher e desaba em lágrimas, porque achava que não havia mais nenhuma delas na Terra. E a partir desse ponto, entre o fim e o começo da existência é que se desenrola Antes de Nascer o Mundo.

E, para quem acredita que a história tenha algo de realismo fantástico, o escritor informa que tal é apenas aparente, pois a realidade descrita está muito próxima dos lugares por onde o autor esteve.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

domingo, 19 de julho de 2009

Serviços terceirizados no Senado

Segundo matéria publicada na Folha de São Paulo, as empresas terceirizadas que têm contrato com o Senado abrigam, pelo menos, 299 servidores que têm parentesco com funcionários efetivos ou comissionados da Casa.

Na prática, as prestadoras de serviços terceirizados estão sendo usadas para burlar decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que proibiu o nepotismo nos três Poderes - Executivo, Legislativo e Judiciário. A súmula é omissa com relação às empresas terceirizadas que possuem contrato com os órgãos públicos, mas o CNJ (Conselho Nacional de Justiça) já proíbe para o Judiciário a contratação de parentes de magistrados e de seus funcionários por essas empresas.

O Senado informou ter 3.500 funcionários terceirizados. O número de 299 parentes se refere a funcionários de apenas 14 empresas que oferecem mão-de-obra para a Casa. O número final de parentes empregados nas empresas pode ser bem maior, uma vez que são 35 contratos ao custo de R$ 129 milhões para a Casa.

Será que essa prática acontece somente no Senado?

Fonte/Blog do Noblat

sábado, 18 de julho de 2009

Energia limpa

Um consórcio de empresas de multinacionais – que reúne gigantes como Siemens, RWE, E.On e Deutsche Bank, entre outros – assinou uma carta de intenções para criar o maior projeto de energia solar do planeta: a Iniciativa Industrial Desertec.

O projeto prevê a construção de uma rede de usinas de produção de energia totalmente limpa no Deserto do Saara, no norte da África, e de redes transmissão de energia, capaz de fornecer pelo menos 15% da eletricidade consumida na Europa, além de dois terços da necessidade do norte africano e do Oriente Médio.

O Desertec foi orçado em US$ 577 bilhões e prevê a instalação de uma tecnologia solar de última geração, que utiliza espelhos para concentrar a luz do sol sobre torres de energia que produzem vapor, que por sua vez movimentam turbinas que produzem eletricidade

O calor excedente produzido durante o dia pode ser armazenado em tanques especiais para manter a usina em funcionamento durante a noite ou em dias nublados.

A ideia de se aproveitar o sol do Saara vinha amadurecendo há décadas, mas só agora o avanço das tecnologias, tanto solar quanto de transmissão de eletricidade, teria viabilizado o investimento.

A água necessária para criar o vapor que movimenta as turbinas sairia do Mar Mediterrâneo, que dessalinizada – com sal derretido sendo usado nas baterias para estocar calor –, poderia ainda ser reaproveitada em regiões desérticas.

Especialistas sugerem ainda que a sombra dos espelhos poderia ser usada para plantação de espécies que normalmente não sobreviveriam ao intenso calor do deserto.

Essa tecnologia, chamadNegritoa Concentrando Energia Solar - CSP já é usada em usinas solares nos Estados Unidos e na Espanha.

A ideia, que surgiu na Alemanha, vem sendo defendida com vigor pelo próprio governo alemão e pela Comissão Europeia, embora ainda existam dúvidas sobre como os problemas políticos de um projeto verdadeiramente internacional como este seriam equacionados.

Os estudos vem sendo desenvolvidos por uma rede de 60 cientistas e especialistas em energias renováveis da África, do Oriente Médio e da Europa.

BBC Brasil

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Fato Lamentável

Considero que a democracia é a melhor via para todo e qualquer país. Defendi isso a vida inteira e sou capaz de me sacrificar para preservá-la. Em um estado democrático, todas as vozes detêm (e devem) ter o direito de ser ouvidas, de se expressar, mas limites devem ser observados.
Hoje o Sindicato dos Professores (CPERS) - acompanhado de políticos do PSOL - ao promover um protesto contra a Governadora em frente a sua residência, agiu de forma abusiva. Porque o protesto não foi direcionado à Governadora Yeda Crusius. Ele pretendeu atingir a mulher, mãe e avó, que estava em casa cedo da manhã, provavelmente tomando café com seus netos. E atingiu, também, os moradores vizinhos, que nada tinham com o imbróglio que se formou. A situação que se gerou evidenciou que a rixa do Sindicato dos Professores com Yeda Crusius parece ser pessoal ou, pior, tratou-se de uma manobra política de efeito. Será que as pessoas que foram protestar em frente a casa da Governadora não pretendiam que ocorresse exatamente o que ocorreu? Que a Brigada Militar fosse chamada e, diante da provocação dos manifestantes (e tenho certeza que professores no evento eram minoria) reagissem, ou seja, usassem meios coercitivos para tanto, inclusive detenção? Será que a intenção não era criar uma imagem de vítima para o Sindicato, que luta por uma categoria menosprezada e tratada de forma brutal? Não fosse assim, a Presidente do Sindicato não teria esboçado um sorriso ao ser encaminhada ao camburão da Brigada Militar, como pude observar nas imagens patéticas que se multiplicam na internet.
Ora, se a luta efetivamente tivesse a intenção de clamar para a constituição de uma CPI que vise apurar supostas irregularidades ou, ainda, para chamar atenção para a precariedade da educação e salário dos professores, a Presidente do CPERS e os políticos do PSOL teriam ido em busca da Governadora do Estado e dirigido sua manifestação no local onde ela exerce seus poderes, ou seja, no Palácio Piratini ou Centro Administrativo.
Na minha opinião, os manifestantes que estiveram em frente à casa da Governadora hoje não praticaram um ato de protesto. Praticaram uma agressão. Numa democracia, a liberdade de expressão deve ser plena, mas não abusiva e, se há excessos ou invasão de privacidade, é preciso medidas firmes para coibir. Caso contrário, deixa de ser democracia e vira uma anarquia.

domingo, 12 de julho de 2009

Prefeitos pedirão urgência para deputados na regulamentação da Emenda Constitucional 29

A regulamentação da Emenda Constitucional 29/2000 será um dos destaques da XII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios. Para os mais de 3,5 mil gestores municipais inscritos para o evento até o momento, os deputados têm que ser alertados sobre a importância desta aprovação para a saúde da população em todos os Municípios brasileiros. A EC 29 determina porcentuais mínimos para cada ente federativo – União, Estados e Municípios – aplicarem no setor de saúde.

Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), as prefeituras investem além dos 15% previstos na Emenda. “E agora, nós vamos lutar para que os Estados cumpram com o porcentual de 12% e que seja aprovado o texto do projeto, definindo o porcentual de 10% para a União.”, explica o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.

Um estudo da Confederação mostra que, se estivesse em vigor, a regulamentação somaria para os Municípios, entre 2006 e 2009, um montante de R$ 20 bilhões. “Esse valor com certeza ajudaria os prefeitos e os secretários de saúde no enfrentamento da crise financeira no SUS [Sistema Único de Saúde] e na atual crise econômica”, lembra Ziulkoski.

A Confederação Nacional de Municípios é favorável ao texto aprovado no Senado Federal em seis de maio do ano passado. Na Marcha, os gestores vão buscar a aprovação no mesmo texto agora na Câmara dos Deputados, onde o projeto aguarda votação.

“Precisamos nos mobilizar para articular com os deputados a aprovação imediata deste PL, e a Marcha é uma ótima oportunidade para isso. A regulamentação da Emenda só trará benefícios para os Municípios”, ressalta Paulo Ziulkoski. O presidente pede a participação especial dos secretários de saúde nesta reivindicação.

Fonte: Confederação Nacional dos Municípios - CNM

sábado, 11 de julho de 2009

Reforma eleitoral - Declaração de voto

"Declaração de voto - Arnaldo Madeira

Quando a falta de coragem se impõe, a mediocridade não tarda a florescer. É assim na vida pessoal e profissional de cada um de nós. Na política, não é diferente. O projeto de reforma eleitoral que acaba de ser aprovado pela Câmara nada mais é que uma contra-reforma. Mexeu-se aqui e ali, mas o fundamental permaneceu intocado. O que significa dizer que nós continuaremos tendo eleições sem representação. E o fosso que separa representantes de representados, que já é imenso, continuará a crescer e a ameaçar a própria democracia representativa.

Mais uma vez, feito guris que temem ferir suscetibilidades e pagar pelo seu atrevimento, fugimos das questões centrais. Em vez de discutirmos a conveniência de manter ou não os cargos de vice – vice-prefeito, vice-governador e vice-presidente – nos ocupamos de lhes assegurar pelo menos 10% do espaço da propaganda eleitoral impressa. Por que não 15%? Ou, então, 18,9%, que é um número simpático? O mesmo espaço publicitário também está assegurado aos suplentes de senadores, que chegam ao Senado e por lá ficam durante anos, sem ter recebido sequer um mísero voto. Discutir a extinção deste cargo, porém, é coisa que a busca do consenso abomina.

Resolvemos também dar um passo atrás, para resgatar um passado de triste memória, ao estabelecer que o voto eletrônico será acompanhado do voto impresso. Para evitar fraudes, 2% das urnas serão auditadas.Mas, se há denúncias consistentes de fraudes, eu as ignoro.

Foi liberado o uso da internet, mas a propaganda paga na rede está proibida. Por quê? A internet é o instrumento de comunicação mais democrático, de acesso fácil e ao alcance de qualquer cidadão. Portanto, deveria ser inteiramente liberada.

Hoje, quem manda pintar seu nome e número em muros paga por isso ou estima valor em caso de doação e declara a despesa ao TRE. Agora, não. O uso de muros tem que ser gratuito. Não se perde a chance de fortalecer o caixa dois. Tudo em nome dos bons costumes. A colocação de cartazes, bandeiras, bonecos nas ruas foi autorizada, o que vai aumentar a poluição visual nas cidades. Carros de som poderão circular até as 22h do sábado anterior às eleições. Hoje, têm que parar de rodar três dias antes. Dá-lhe mais poluição sonora.

Os defensores da contra-reforma alegam que a nova lei consolida jurisprudência do tribunal eleitoral. Se há jurisprudência, por que nova lei? Os advogados devem estar contentes. Que profissional não gosta de ver o mercado de trabalho aquecido? Afinal, a justiça vai construir nova jurisprudência.

Enfim, noves fora outros penduricalhos, é o que temos.

A discussão que importa a que trata da mudança do sistema de representação parlamentar ficou para amanhã, para um amanhã que a falta de coragem da maioria dos parlamentares não deixa chegar."


Texto publicado no Blog Prosa & Política/Adriani Vandovani

terça-feira, 7 de julho de 2009

Os chargistas não largam o Senado


Ivan Cabral/
Blog do Josias de Souza

Belém - Juiz condena jornalista e jornal

"O juiz Raimundo das Chagas Filho, da 4ª Vara Cível de Belém do Pará, condenou o jornalista Lúcio Flávio Pinto e o Jornal Pessoal ao pagamento de R$ 30 mil a título de indenização por danos morais a Rômulo Maiorana Filho e Ronaldo Maiorana, diretores do Grupo Liberal.

Além da fixação da indenização, o juiz deferiu tutela antecipada para conceder direito de resposta ao artigo O Rei da Quitanda, em favor de Rômulo e Ronaldo, bem como determinou que o jornalista se abstenha de citar, em suas matérias, os nomes dos dois irmãos, sob pena de multa.

No despacho, o magistrado sustenta que "a capacidade de pagamento dos requeridos [Jornal Pessoal e Lúcio Flávio Pinto] é notória, porquanto se trata de periódico de grande aceitação pelo público, principalmente pela classe estudantil, o que lhes garante um bom lucro".

O Jornal Pessoal é uma publicação alternativa que não aceita publicidade. Seus custos são mantidos exclusivamente com a receita de venda avulsa , o que não gera lucros, ao contrário do que afirma o juiz em sua sentença."

Fonte: Blog do Noblat

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Nota Oficial - Procuradores da República - RS

2009-07-06 17:13:53

Nota Oficial


Os Procuradores da República que compõem a Força Tarefa atuante no caso DETRAN/UFSM vêm a público dizer que:

1) A divulgação de dados sigilosos sob investigação, que distingue-se da informação ao público, além de ser crime, perturba e dificulta a apuração dos fatos e a colheita de elementos de prova a subsidiar as ações do MPF, em juízo ou fora dele, gerando, além de risco a pessoas, impunidade.

2) Os fatos pertinentes à denominada Operação Rodin estão em apuração nos autos das ações criminais e de improbidade administrativa em trâmite perante a 3ª Vara Criminal de Santa Maria, nos limites dados pelo compartilhamento de informações autorizado judicialmente e pela necessidade de garantia do resguardo de sigilo de dados imposta pelo devido processo legal.

3) A apuração criminal decorrente dos fatos publicados, no que envolve pessoas com prerrogativa de foro, refoge às atribuições dos Procuradores da República que integram a Força Tarefa.


Publicada no Blog de André Machado/ZH

Nota do Governo do Estado do RS

Nota de Esclarecimento

Em face das informações publicadas no jornal Zero Hora, de 06 de julho corrente, o Governo do Estado, em respeito à democracia e à população do Rio Grande do Sul esclarece que:

1º. Não há nada de novo na divulgação do referido jornal.

2º. Todas as supostas denúncias são fatos já mencionados no passado, sem qualquer comprovação, com o claro objetivo de criar dúvida e estabelecer desconfiança na relação do Governo com a Sociedade;

3º. A eleição terminou. Todas as contas da campanha eleitoral foram julgadas, auditadas pelos órgãos competentes e aprovadas, o que permitiu a diplomação da Governadora. As mesmas estão à disposição no Portal do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul.

4º. Em relação à compra da casa, o fato já foi investigado pelo Ministério Público Estadual, que determinou o arquivamento da investigação dado a legalidade comprovada pela análise da farta documentação disponibilizada pela Governadora.

5º. O Governo continua empenhado em manter a governabilidade do Estado e garantir o cumprimento de suas responsabilidades na gestão dos serviços públicos.

6ª. Celebrando o pleno Estado de Direito vigente no País, o Governo do Estado aguarda com serenidade o desenvolvimento das investigações, confiando que a Justiça seja feita e respeitando todos os princípios democráticos reafirma sua obrigação de responsabilizar os que na ânsia de atacar e agredir, afrontam a verdade e violentam a imagem de pessoas e instituições.

A elegância do ouriço - um dos livros mais vendidos no mundo

Artigo da jornalista NIVIA ANDRES sobre o livro A elegância do ouriço, publicado no blog

"Um prédio elegante no centro de Paris; uma desconfiada zeladora de meia-idade que tem um gato chamado Leon; uma garota cáustica, às turras com a família; um cavalheiro japonês sorridente e misterioso. Com esses ingredientes díspares, Muriel Barbery fez do romance
“A elegância do Ouriço” um dos livros mais vendidos na França e em todo o mundo.

A ELEGÂNCIA DO OURIÇO

À primeira vista, não se nota grande movimento no número 7 da Rue de Grenelle: o endereço é chique, e os moradores são gente rica e tradicional. Para ingressar no prédio e poder conhecer seus personagens, com suas manias e segredos, será preciso infiltrar um agente ou uma agente ou uma agente ou, por que não, duas agentes. É justamente o que faz Muriel Barbery em “A elegância do Ouriço”, seu segundo romance. Para começar, dando voz a Renée, que parece ser a zeladora por excelência: baixota, ranzinza e sempre pronta a bater a porta na cara de alguém. Na verdade, uma observadora refinada, ora terna, ora ácida, e um personagem complexo, que apaga as pegadas para que ninguém adivinhe o que guarda na toca - um amor extremado às letras e às artes, sem as diferenças de classe e de esnobismo que mancham o perfil dos seus muitos patrões.

E ainda há Paloma, a caçula da família Josse. O pai é um figurão da política, a mãe dondoca tem doutorado em letras, a irmã mais velha jura que é filósofa, mas Paloma conhece bem demais o verso e o reverso da vida familiar para engolir a história oficial. Tanto que se impõe um desafio terrível: ou descobre algum sentido para a vida, ou comete suicídio e incendeia o apartamento da família no seu aniversário de treze anos. Enquanto a data não chega, mantém duas séries de anotações pessoais e filosóficas: os Pensamentos profundos e o Diário do movimento do mundo, crônicas de suas experiências íntimas e também da vida no prédio.As vozes da garota e da zeladora, primeiro paralelas, depois entrelaçadas, vão desenhando uma espiral em que se misturam argumentos filosóficos, instantes de revelação estética, birras de classe e maldades adolescentes, poemas orientais e filmes blockbuster.

As duas filósofas, Renée e Paloma, estão inteiramente entregues a esse ímpeto satírico e devastador, quando chega de mudança o bem-humorado Kakuro Ozu,um japonês com nome de cineasta que, sem alarde, saberá salvá-las tanto da mediocridade geral como dos próprios espinhos.A história se passa quase inteiramente no edifício à Rua de Grenelle, 7, onde ambas residem. Paloma e Renée passam a vida preocupadas em apagar os traços de suas existências e têm bastante sucesso em se tornarem quase invisíveis aos outros, apesar de terem vidas interiores muito ricas e de quase não perderem nada do que acontece ao seu redor, principalmente quanto às intenções das pessoas que conhecem e seus preconceitos embolorados.

Elas se protegem contra qualquer indiscrição, contra qualquer comportamento, que possa levá-las a serem descobertas, que possa revelá-las como as pessoas sensíveis que são, inteligentes, cultas e mordazes na caracterização dos habitantes do edifício e da sociedade francesa em geral. Só são descobertas por um novo residente, um oriental, japonês, que passa a viver neste abrigo de alto luxo da burguesia parisiense. Sua chegada ao edifício causa muita curiosidade da parte de seus moradores mais tradicionais. Ele, no entanto, assume que é realmente uma pessoa de fora, apesar de usar precisa e corretamente a língua francesa. É um estranho no ninho, que não precisa nem saber, nem se limitar às regras sociais estabelecidas e consegue estender sua amizade às duas mulheres, compreendendo-as e deixando suas personalidades florescerem. Com Kakuro Ozu elas podem ser naturais, verdadeiras e encantadoras.

O livro é pleno de observações de muito humor sobre a vida moderna; divertidas descrições do que é esperado no comportamento de cada um e irônicas coincidências que geram preciosas observações sobre literatura, linguagem, envelhecimento, psicanálise, e muitos outros aspectos do dia a dia atual. Tudo muito bem empacotado numa maravilhosa escolha de vocabulário, contrastes irônicos permeados por um tom jocoso e irreverente, ímpar. E para quem achou estranho o título, Paloma pode explicar: “A senhora Michel tem a elegância do ouriço: exteriormente, está coberta de espinhos, uma autêntica fortaleza, mas pressinto que no interior, também é tão requintada como os ouriços que são uns animaizinhos falsamente indolentes, ferozmente solitários e terrivelmente elegantes.”

Aliás, outra grande virtude do livro é mostrar que para ser refinado, culto, elegante e sensível, ninguém precisa ser rico, basta ter disponibilidade e querer aprender."

A amizade na gestão pública


Charge-Machado/Blog do Noblat

sábado, 4 de julho de 2009

As ovelhas estariam diminuindo de tamanho

Uma pesquisa britânica sugere que o aquecimento global está causando o encolhimento de um tipo de ovelha selvagem na Escócia.

Os pesquisadores do Imperial College, em Londres, vinham estudando, desde 1985, a ovelha Soay, comum na ilha de Hirta, no arquipélago remoto de St.Kilda.

Em 2007, os cientistas divulgaram que o tamanho dos animais havia diminuído em média 5% - as pernas ficaram menores e o peso do animal teria caído.

No estudo, publicado na edição desta semana da revista científica Science, os pesquisadores explicam que esse fenômeno estaria relacionado com a mudança climática, já que os invernos menos rigorosos estariam ajudando ovelhas menores a sobreviver, resultando no que os cientistas chamam de uma “redução paradoxal de tamanho”.

“No passado, apenas as ovelhas e bezerros maiores e mais saudáveis que haviam acumulado peso durante o primeiro verão poderiam sobreviver ao inverno rigoroso de Hirta”, disse Tim Coulson, que coordenou o estudo.

Ele explica que, por conta do aquecimento global, o capim para alimentação dos animais está disponível por um período maior de tempo nas ilha.

“As condições de sobrevivência não são tão desafiadoras – até mesmo as ovelhas que crescem mais lentamente têm a chance de sobreviver, e isso significa que animais menores estão se tornando cada vez mais predominantes na população”, disse Coulson.

Para chegar aos resultados, os pesquisadores usaram uma fórmula criada pelo teórico evolucionista George Price para prever como um traço físico, como o tamanho do corpo, por exemplo, poderia mudar de uma geração para a outra.

Com base nessas informações, os cientistas puderam “reformular a equação” de Price e usá-la para descobrir o impacto de fatores externos no tamanho das ovelhas.

O grupo identificou que o meio ambiente local tinha um impacto maior nos animais do que a pressão evolutiva para aumentar de tamanho.

O grupo de cientistas também identificou que as ovelhas mais jovens tendem a dar à luz a bezerros menores – um fenômeno chamado por eles de “efeito da mãe jovem”.

Coulson afirma que esse fenômeno, combinado com as mudanças no meio ambiente “suprimiu o que poderíamos esperar da seleção natural”.

Os cientistas acreditam que o tamanho das ovelhas continuará diminuindo no futuro.

Este texto foi publicado no site da BBC Brasil. O estudo mostra que as mudanças climáticas acentuam as alterações na estrutura biológica dos seres vivos.

"Um osso duro de roer"


Clayton - O Povo/ Blog do Josias de Souza

Os panos de proteção

Fonte:Ique/Panos quentes/Blog do Josias de Souza

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Será que o Senado é um ministério de Lula?


O senador Cristovam Buarque (PDT-DF) tem suas idiossincrasias, mas é um político sério. Foi pioneiro na defesa do licenciamento de Sarney e sua tese se disseminou. Agora, quer que o Senado não vote mais nada sob a presidência do maranhense, ou melhor, do representante do Amapá.

Há outra opinião de Cristovam com a qual comungamos – Ele considera desrespeitosa a movimentação do presidente Lula para segurar Sarney na cadeira e avança: “O presidente da República esqueceu o princípio da independência dos poderes. O Lula está tratando o Congresso como se fosse um ministério dele”.

Lula elegeu o telefone para administrar crises enquanto vagueia pelo mundo, em missões muitas vezes estranhas, como a última, na Líbia (Muahmmar Khadafi, um “irmão”?). De lá, ordenou à Dilma que conversasse com Sarney, impedindo a já ensaiada renúncia e não tomasse decisão até a sua volta. Ora, o Senado está ligado à presidência da República? Não é um poder independente? Curva-se o Congresso aos instrumentos manipulatórios do Executivo?

Cristovam, a propósito, lembrou que foi demitido por telefone, quando era ministro da Educação de Lula, durante uma viagem internacional do chefe. A analogia entre o passado e o presente faz sentido: “Do mesmo jeito que o Lula demitiu um ministro pelo telefone, agora pede a um presidente do Congresso que fique...O ministro ele tinha o direito de demitir por telefone. Mas o presidente do Congresso foi eleito pelos senadores...O Lula tem que deixar que os senadores resolvam os seus problemas. Ele está ajudando a desmoralizar mais o Senado, que já está no fundo do poço”.

E acrescenta, desencantado, que a democracia pede um mínimo de estética: “...Infelizmente, não há feiúra maior na democracia brasileira do que o Senado atual”.

Será que seus pares terão coragem suficiente para segui-lo na teimosia de não votar mais nada sob a coroa de Sarney?

quarta-feira, 1 de julho de 2009

Nepal proíbe bolsos em uniformes dos funcionários de aeroporto

As autoridades nepalesas vão obrigar os funcionários do Aeroporto Internacional de Katmandu, o principal do país, a usarem calças de uniforme sem bolsos para acabar com a prática de subornos no local.

A Comissão para Investigação de Abuso de Autoridade do país anunciou as medidas  depois que o primeiro-ministro afirmou que a corrupção está prejudicando a imagem do aeroporto. A decisão atende a um número cada vez maior de reclamações contra os funcionários, acusados de aceitar subornos e roubarem objetos da bagagem dos passageiros.

A Comissão disse ter enviado uma equipe ao aeroporto para "observar (o motivo) das crescentes reclamações a respeito do comportamento das autoridades do aeroporto e dos funcionários em relação aos viajantes".

Ishwori Prasad Paudyal, porta-voz do órgão, afirmou que câmeras e telefones celulares estavam desaparecendo na área de checagem de bagagens e espera que a nova diretriz proibindo bolsos nas calças dos funcionários coíba a corrupção, porque fica difícil esconder o produto de suborno nas meias ou debaixo do chapéu sem parecer suspeito.

No entanto, o porta-voz da Comissão para Investigação de Abuso de Autoridade não deu nenhuma sugestão sobre como os funcionários do aeroporto portariam seus objetos pessoais, como carteiras, chaves e cigarros, em uma calça sem bolsos.

Medida inútil. Se os funcionários do aeroporto nepalês forem pessoas informadas, usarão as calças sem bolsos tranquilamente, pois, conhecendo o modus operandi brasileiro, poderão guardar o produto do suborno nas cuecas...(se for dinheiro, é claro!)

Fonte: BBCBrasil