quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Expectativa de vida do brasileiro nascido em 2009 é de 73,17 anos

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou hoje a pesquisa Tábuas Completas de Mortalidade 2009, mostrando que entre 2008 e 2009, a expectativa do brasileiro ao nascer passou de 72,8 anos para 73,17 anos - crescimento de três meses e 22 dias (0,31 anos). No período compreendido entre 1980 e 2009, a alta foi de 10,6 anos (10 anos, 7 meses e 6 dias). As mulheres continuam a ter maior expectativa de vida do que os homens. Em 2009, a esperança de vida masculina foi de 69,42 anos. Já para as mulheres, a média alcançou 77,01 anos. Essa diferença causa atualmente um excedente de 4 milhões de mulheres no país e as projeções do instituto apontam para 14 milhões de mulheres a mais em 2050. A mortalidade infantil em 2009 foi de 22,47 óbitos de menores de um ano para cada mil nascidos vivos. Em 1980, essa taxa era de 69,12. Em 2008, era de 23,30.

O Instituto também divulgou a esperança de vida dos idosos com 60 anos. Uma pessoa que completasse 60 anos em 2009 tinha a expectativa de viver em média até os 81,27 anos. Em 1980, esse índice era de 76,39 anos. O estudo, inclusive, é utilizado pelo Ministério da Previdência como um dos parâmetros para determinar o fator previdenciário no cálculo das aposentadorias.

Como o Brasil é um país de dimensões continentais e ainda há desigualdades econômicas acentuadas entre as regiões mais desenvolvidas (sul e sudeste) e as mais pobres (norte e nordeste), as taxas de expectativa de vida ao nascer e de esperança de vida variam muito. Continua alta a taxa de mortalidade infantil, de 22,47 óbitos de menores de um ano, se comparada a países com IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) semelhantes ao brasileiro. Caminhamos lentamente, à espera de políticas públicas mais eficientes nas áreas de educação e saúde.

Um comentário:

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezado engenheiro Vulmar Leite!
Esta notícia auspiciosa torna patente a necessidade de políticas públicas mais eficazes para atender a nova realidade que se apresenta.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Diadema-SP