terça-feira, 7 de maio de 2013

MÉDICOS CUBANOS NO BRASIL - REAÇÕES

Recebi uma mensagem, por e-mail, encaminhando o artigo publicado no Blog do Coronel (Coturno Noturno) contestando o acordo que o Brasil está negociando com Cuba, para a contratação de 6.000 médicos cubanos, que viriam trabalhar em regiões com reconhecida carência de atendimento à saúde.

São contundentes as informações do autor sobre as condições de trabalho desses profissionais no país de origem e na experiência existente na Venezuela. Manifesta sua preocupação com a natureza do acordo que será celebrado com Cuba, quanto à autonomia dos médicos contratados e o consequente enquadramento desses profissionais na legislação trabalhista brasileira.

Leia a íntegra do artigo, abaixo:

Não vamos permitir que o Brasil importe médicos cubanos para trabalharem feito escravos, como ocorre na Venezuela.

O mundo inteiro sabe que Cuba exporta escravos para trabalhar em outros países. O esquema é simples. O profissional recebe um salário de fome no país onde trabalha, enquanto o governo paga a diferença diretamente aos Castro. É o que acontece na Venezuela. É o que vai acontecer no Brasil, se importarmos médicos cubanos. Cuba não faz caridade. Cuba é o mais capitalista dos países na hora de usar seres humanos como escravos para suprir os seus problemas de caixa.
O governo cubano cobra U$ 11,4 mil por mês por médico cedido ao governo chavista. No entanto, estes médicos recebem apenas U$ 230 mensais na Venezuela, mais uma ajuda de U$ 46 dólares para a família, paga diretamente em Cuba.  São 45 mil médicos que geram uma receita anual para a ditadura dos Castro de cerca de U$ 4,5 bilhões por ano. Se fosse no Brasil, ao dólar de hoje, cada médico cubano custaria R$ 23 mil mensais, mas ficaria com o equivalente a um salário mínimo por mês.

Pois os governos do Brasil e de Cuba, com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde, estão acertando a vinda de 6.000 médicos cubanos para trabalharem nas regiões brasileiras mais carentes. Os detalhes estão em negociação. Os ministros das Relações Exteriores, Antonio Patriota, e o cubano Bruno Eduardo Rodríguez Parrilla, anunciaram nesta segunda-feira (6) a parceria. O diabo está nos detalhes. É inadmissível que estes médicos, se autorizados, não recebam aqui o mesmo valor pago aos médicos brasileiros. E diretamente a eles.

Se não for assim, o Brasil estará importando e utilizando mão de obra escrava, o que é um crime que, com toda a certeza, o nosso diligente Ministério Público Federal jamais permitirá. Nem a turma do Sakamoto vai deixar, não é mesmo? Se existe tanta fiscalização sobre as condições análogas à escravidão supostamente existentes em algumas fazendas e fábricas, não é possivel que a Secretaria de Direitos Humanos da Maria do Rosário e o Ministério da Justiça do José Eduardo Cardozo permitirão que os médicos cubanos sejam explorados oficialmente pelo governo brasileiro.

Não, não venham com esta conversa de que estes médicos serão pagos lá. Não serão! Eles devem embolsar este dinheiro aqui, na pessoa física, em conta corrente aberta em banco brasileiro. Não aceitem os truques da ditadura cubana. Vamos fiscalizar, porque na Venezuela está ocorrendo um fenomeno. Mais de 1.500 desses médicos emigraram para os EUA ou países vizinhos. Conseguiram furar o controle do serviço secreto castrista, que os acompanham d eperto naquele país. “Quando algum médico foge, o governo finge que foram trasladados”, explica um dos membros da Sociedade Venezuelana de Medicina Bolivariana, que pediu para não ser identificado.

As fugas não são para menos. Os cubanos sempre moram em grupos de quatro, em cubículos de 30 metros quadrados, único espaço de que dispõem para dormir, cozinhar, tomar banho e se entreter. Um dos quatro costuma ser um informante ou agente do sistema repressivo castrista. Todos os médicos devem voltar para “casa” antes das 18 horas. Para dar uma “voltinha”, devem pedir licença com semanas de antecipação, mediante documento no qual justificam o destino e a duração de sua movimentação. Todos estão proibidos de entrar em contato com oposicionistas ou jornalistas, e dependem da Sociedade Venezuelana de Medicina Bolivariana.

Não vamos discutir mais se os médicos cubanos possuem conhecimentos técnicos similares aos dos médicos brasileiros. Vamos aceitar que sim. Então que venham para cá para receber salários iguais aos médicos brasileiros, trabalhando a mesma carga horária. Em Porto Velho (RO), a prefeitura precisa de médicos e paga R$ 12 mil mensais. A prefeitura de Sabará (MG) paga quase R$ 10 mil mensais. A prefeitura de Araguatins (TO) paga R$ 10 mil mensais para clínico geral. Que venham os cubanos. E que o dinheiro que pagaremos fique aqui, aquecendo o nosso mercado, em vez de sustentar a ditadura escravagista de Cuba. 

5 comentários:

JÚLIO GARCIA disse...

Prezado amigo Vulmar, quanta bobagem, mentira, preconceito e reacionarismo desse 'coturno noturno', saudosista e porta voz gagá da extrema-direita e dos saudosistas da famigerada ditadura militar que a luta do povo brasileiro mandou para a lata de lixo da história. Felizmente hoje vivemos numa Democracia e todos, até eles, têm o soberano direito de expressão - até para dizer inverdades e bobagens desse naipe(direito esse que nos negaram despoticamente no passado). Sobre esse deplorável 'artigo' do 'cn', vale aquela máxima: 'seria cômico ... se não fosse trágico'. Cordial abraço!

Vulmar Leite disse...

Boa tarde, amigo Júlio!

Publiquei o teu comentário. A luta pelo restabelecimento das franquias democráticas me tornou um radical na defesa do direito de opinião e na liberdade de imprensa. Leio, diariamente muitos blogs, sites e jornais, goste ou não goste dos autores ou do quê escrevem, mas respeito o direito de cada um de dizer e escrever o que bem ou mal entendem. Assim, no meu blog haverá, sempre, espaço para o contraditório.

Um forte abraço,

Vulmar Leite

JÚLIO GARCIA disse...

É isso aí amigo Vulmar.
O contraditório, no geral, sempre é bom e importante. Mas alerto que, nesse caso, o artigo em questão do 'cn' relata a opinião de quem destestava - e continua destestando o contraditório e a democracia.
Outro forte abraço!
Júlio

JÚLIO GARCIA disse...

É isso aí, amigo Vulmar.
Apenas alerto que, nesse caso específico, o 'artigo' em questão do ultradireitista 'cn' relata apenas o ponto de vista de quem destestava - e continua destestando - o contraditório... e a Democracia.
Receba outro forte abraço!
Júlio

Elton Vals disse...

É a comunizaçaõ da A Latina, em conluio com os eleitores do PT, dos religiosos que não ensinam ao povo o que é o marxismo e suas consequências, como o ódio a Deus, quando não o conluio, como tanto temos visto por aí, como a esquerdista Teologia da Libertação querendo se passar por doutrina da Igreja católica ensinada por muitos comunistas sacerdotes Brasil e Américas a afora, do Boff/Gutierrez/Susin & Cia, agora melhor desmascarada de ser obra prima da KGB!
Ex-general soviético revelou ao mundo: Teologia da Libertação foi uma falaciosa cruzada de dominação ideológica criada pela KGB, sob forma religiosa para facilitar sua penetração: http://www.midiasemmascara.org/artigos/movimento-revolucionario/14089-a-cruzada-religiosa-do-kremlin.html e original em inglês http://archive.frontpagemag.com/readArticle.aspx?ARTID=35388.
Sabíamos há muito disso dado as afinidades TL-PT-PCC-FARCs etc., mas podendo demonstrá-lo via documental, tanto melhor!