terça-feira, 4 de maio de 2010

KUAA MBO’E

Um belo cenário. Uma missão nobre. Um objetivo de vida. Cidadania plena sem aculturação. Multiplicação do saber em duas línguas. Kuaa Mbo’e. É o que faz um grupo de 70 índios guaranis, homens e mulheres, oriundos de cinco estados brasileiros – RS, SC, PR, RJ e ES, reunidos desde o dia 21 de abril, no Hotel das Araucárias, em São Francisco de Paula, na serra gaúcha. Eles são concluintes do Programa de Educação Escolar Indígena, para formação de professores. Kuaa Mbo’e.

O Programa de Educação Escolar Indígena tem a chancela dos governos das regiões Sul e Sudeste do país, através de suas Secretarias de Educação e conta com recursos da Secad – Secretaria de Educação, Alfabetização e Diversidade, do MEC e da Fundação Nacional do Índio (Funai).
Os eventos vem se realizando desde 2004, coordenados pelas professoras Jeni Jussara Rech (D), indicada pela da Secretaria Estadual de Educação do Rio Grande do Sul, como coordenadora-geral, e Vânia Santos Ribeiro, da Secretaria de Educação de Santa Catarina, como coordenadora pedagógica.

O curso tem duração de 3.200 horas divididas em 10 etapas anuais, em diferentes regiões dos cinco estados. Atualmente está sendo realizado no Município de São Francisco de Paula, no aprazível Hotel das Araucárias, para 70 índios guaranis. O curso está sendo ministrado, nesta etapa, pela professora de Linguística, Lílian Abram, doutoranda da Universidade de Campinas (SP); pelo professor Ervino Pott, da Secretaria de Educação do Paraná; acompanhado pelo supervisor Luiz Omar Correa, representante da FUNAI.

A décima etapa, em curso, está sendo desenvolvida desde 21 de abril, até 27 de maio, com duração de 34 dias (8 horas-aula diárias).

Os alunos que frequentarem as 10 etapas (dos 80 alunos que iniciaram o curso somente 10 desistiram) serão certificados no Ensino Médio e no Normal bilíngue (Português e Guarani), habilitados para lecionar nas séries iniciais do Ensino Fundamental.

O curso foi aprovado pelo Conselho Estadual de Educação de Santa Catarina e reconhecido pelo Conselho Estadual de Educação do Rio Grande do Sul.

A formatura deverá ocorrer no segundo semestre deste ano, em novembro, possivelmente no Município de São Miguel das Missões, sede da Redução de São Miguel Arcanjo, monumento histórico dos Sete Povos das Missões, onde floresceu a civilização guarani, no século XVII. Um belo cenário que servirá como símbolo aos novos professores, na transmissão e difusão do saber e da cultura guarani. Kuaa Mbo’e.

A população guarani no Rio Grande do Sul é estimada em 2.000 habitantes, distribuídos em 32 aldeias, servidas por escolas mantidas pelo estado. Desses novos professores, 13 são do Rio Grande do Sul.

Kuaa Mbo’e. Na língua guarani, Aprender = Ensinar .

Essas informações foram obtidas durante o café da manhã que tive a satisfação de compartilhar com os participantes do curso, alunos, professores e organizadores, no último domingo, numa feliz coincidência, quando me encontrava em São Francisco de Paula, em viagem de passeio.

Um comentário:

Prof Ms João Paulo de Oliveira disse...

Prezado jornalista Vulmar Leite!
Muito oportuna sua iniciativa em divulgar tão auspicioso fato, que engrandece nossas raízes!
Saudações pedagógicas!
Até breve...
Prof Ms João Paulo de Oliveira
Diadema-SP