sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Hidrelétrica recebe licença de instalação de obra no Rio Madeira (RO)

Outro projeto polêmico do governo federal começa a sair do papel, com a licença para instalação da Usina Hidrelétrica do Jirau, a segunda obra no rio Madeira (RO). A licença de instalação para a Usina Hidrelétrica de Santo Antônio foi concedida em agosto deste ano. A licença prévia para as duas usinas foi dada em conjunto, em julho do ano passado.

As obras da Usina Hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira (RO), já podem começar. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) vai publicar hoje (14), a licença de instalação que vai permitir o início do canteiro de obras e a construção de uma ensecadeira - barreiras de cascalho e terra para desviar o leito do rio do local de construção da usina, enquanto as turbinas da hidrelétrica são instaladas. Segundo a secretária-executiva do ministério do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, apesar de existirem impactos ambientais, a licença de Jirau é necessária para reforçar a participação da hidroeletricidade na matriz energética brasileira e que para o início da construção da usina será necessária nova licença.

De sua parte, a Agência Nacional de Águas (ANA) já autorizou a construção da ensecadeira e a retirada de água do rio Madeira para atender às necessidades do canteiro de obras. Mas, segundo o presidente da ANA, José Machado, a outorga final para a obra vai depender da apresentação de um projeto para a construção de eclusas no local a fim de viabilizar o transporte fluvial.

As duas usinas que o governo federal quer construir no rio somam 6.450 megawatts – aproximadamente metade da potência de Itaipu, a usina mais potente do país, e 8% da demanda nacional, segundo cálculo do governo. Pelo projeto, as represas alagarão área proporcionalmente pequena e não controlarão a vazão do rio Madeira.


Fonte: Agência Brasil

Um comentário:

Júlio Garcia disse...

Meu caro Vulmar, com todo o respeito: um erro não justifica o outro, diz a máxima. Portanto, eu também tenho a firme convicção de que, tanto o governo federal quanto o estadual, estão errados em relação aos projetos que pretendem implementar e que, uma vez concretizados, irão prejudicar enormemente nosso já tão defenestrado ecossistema.
*Aproveito para parabenizá-lo pelo blog!
Grande abraço!